Fecha límite para el envío de resumenes: 21/Abril/2024

O torneamento compõe grande parte das operações de corte de materiais na indústria e é um dos processos mais essenciais para remoção de material utilizando-se ferramenta de ponta única. Esse processo de fabricação pode ser estudado através do corte ortogonal, que é a operação de torneamento onde a força passiva é desprezada e o processo passa se avaliado de forma bidimensional sob a influência apenas do avanço e de força de corte. Este trabalho teve como objetivo o estudo do corte ortogonal em três materiais distintos, o aço SAE 4340, o Aço Inox 304 e o Titânio grau 5. Foram realizados experimentos sem refrigeração (corte a seco), com refrigeração por ar comprimido e com o uso de um sistema de ar gelado. Foram adotados 3 níveis de velocidade de corte (95, 210 e 330 m/min) e três níveis de avanço (0,05; 0,12 e 0,25 mm/rot). A profundidade de corte foi mantida constante em 1,5 mm. O comprimento de corte foi de 2 mm para as velocidades de corte de 95 e 210 m/min, e de 3 mm para a velocidade de corte de 330 m/min. Os resultados demonstraram que o avanço é o parâmetro de corte que mais influencia no valor do coeficiente de atrito entre a ferramenta e o cavaco. Para o aço SAE 4340, a utilização de refrigeração colaborou para a diminuição do coeficiente de atrito, não havendo diferença significativa entre o ar comprimido e o ar gelado. Para o aço Inox 304, a presença de refrigeração não proporcionou alterações significativas no valor do coeficiente de atrito. Por outro lado, para o Titânio Grau 5, considerando as velocidades de 95 e 210 m/min, a presença de refrigeração ocasionou um aumento no valor do coeficiente de atrito, enquanto para a velocidade de 330 m/min, houve uma pequena diminuição deste ou não houve alterações significativas.

es_ES
Area de Usuario

Regístrate con tu correo y contraseña para acceder al panel de usuario y ser parte del CIBIM.

Si ya estás registrado, ingresa con tu correo y contraseña.